Sutjeska

Vem que eu não mordo.   Submit   Bem aventurados os que mentem, felizes são aqueles que não sentem, e eu, sentenciado a reclusão. À luz desse farol da solidão.

twitter.com/Apenas1Tequila:

    "Te amo a ponto de ser seu em todas as vidas que puder ter."
    Alex Nunes.   (via erzdiozese)

    (Source: verbismo, via erzdiozese)

    — 5 days ago with 6828 notes
    "Eu percebi que te amava quando me dei conta de que todos os meus planos pra vida incluíam você. Eu percebi que te amava quando te esquecia por minutos e te lembrava pelo resto do dia. Percebi que te amava quando vi que eu poderia caber em qualquer lugar, mas preferia caber dentro de você. Eu percebi que te amava quando eu imaginei meus filhos com o teu sorriso."
    Caroline Manfredini (via cavaquear)

    (Source: textuou, via cavaquear)

    — 1 week ago with 6921 notes
    runningmermaids:

i’m wearing my boyfriend’s shorts and we look so cute

    runningmermaids:

    i’m wearing my boyfriend’s shorts and we look so cute

    (via cavaquear)

    — 1 week ago with 2412 notes
    "Sempre me senti diferente dos outros. Não mais bonita, não mais inteligente, não mais especial, não mais esperta, não mais maluca, não mais legal, apenas diferente. Sou diferente na forma de sentir, tudo que me toca, me toca fundo. Tudo que me alegra, me alegra muito. Tudo que me dói, dói forte, corta. Nunca tive muitos freios em matéria de sentimento. Sempre que eu quis ir, fui. Muito me estrepei. Sempre que quis falar, falei. Muito me ralei. Aprendi um pouco a calar, a tentar respirar fundo e pensar."
    Tati Bernardi.  (via alentador)

    (Source: bipolarefeliz, via alentador)

    — 2 weeks ago with 30339 notes
    "Eu queria não ter que precisar crescer. Crescer assusta, crescer dói. Dói muito, dependendo do quão cedo você é jogado da zona adolescente direto para a zona adulta. É muito estranho quando você se enxerga velho o suficiente para ir pra um bar e voltar a hora que quiser, mas fica com o rabinho entre as pernas se o seu chefe briga com você pelo atraso logo na segunda de manhã. Colo de mãe é algo realmente milagroso. Eu lembro que quando eu era criança, eu costumava dormir no colo dela porque estava chateada já que aquele dia no colégio tinha sido o dia de levar brinquedo e eu me esqueci de levar minha boneca. Hoje eu preciso de colo porque tenho decisões pra tomar daqui pra frente (algumas me assustam muito, outras, nem tanto…) Mas são decisões que irão realmente fazer a diferença e que irão mudar completamente o sentido da correnteza do meu rio. Decisões que irão fazer meu avião passar por uma forte turbulência. Eu lembro que quando eu tinha 10 anos, eu achava que ter 19 iria ser o máximo e que a vida seria muito mais interessante e divertida depois que eu pudesse ir para uma balada com os amigos e voltar às 7 da manhã. Agora, tenho 19 anos, tenho nojo de balada e às 7 da manhã é o horário que eu estou indo dormir, depois de ter passado horas em frente ao computador. Ou seja, no quesito “virar um adolescente normal”, eu fracassei. E realmente não me arrependo. Até me orgulho de ser estranha do jeito que eu sou. Enfim, crescer é deprimente. Você percebe que você passou anos guardado dentro de uma caixinha, e que agora a vida abriu sua casquinha protetora. E você terá de sair. Sua caixinha serviu pra te guardar enquanto você esteve se preparando pra algum dia, explorar o mundo que existia fora da sua zona de conforto. Às vezes eu irei precisar de colo, mas o colo que eu preciso não estará por perto. Medo de ficar sozinho, todos temos. Mas o medo de se arriscar consegue ser ainda maior. Tudo que é novo assusta demais, gera insegurança, dúvidas, tristezas e angústias. Mãe, cadê meu colo?"
    Kéfera Buchmann.   (via alentador)

    (via alentador)

    — 2 weeks ago with 8495 notes